Você S.A. – A sua principal marca!

Uma conversa sobre Cíbridismo e Marketing Pessoal.

macacotelefone

Somos uma geração conectada e vivemos em um tempo onde não existe mais a divisão entre os mundos online e offline. Hoje somos seres cíbridos, ou seja, nossos devices são extensões do nosso corpo. Do instante que acordamos ao momento de dormir utilizamos ativamente a internet. Interagimos digitalmente a todo o momento com outras pessoas e marcas através das mais variadas redes sociais. A realidade do mundo que vivemos atualmente é a concretização de ideias que há pouco poderiam ser descritas como ficção ou utopia. A revolução digital mudou completamente a forma que vivemos, estudamos, brincamos, trabalhamos, fazemos compras, interagimos com as outras pessoas e principalmente como nós posicionamos frente aos demais.

Se anteriormente nos preocupávamos apenas em como seríamos vistos e percebidos em ambientes públicos como na faculdade, no trabalho e em eventos sociais, hoje devemos nos preocupar também em como somos vistos e percebidos nos ambientes digitais, principalmente nas redes sociais.

Construímos a todo instante a nossa marca pessoal! E tal como as empresas, é imprescindível transmitir sua real identidade através do seu posicionamento perante a sociedade.
E você, já parou para pensar se a imagem que está transmitindo reflete a sua identidade pessoal?! Pois é, muitas vezes vamos levando nossas vidas sem nós preocupar com esses aspectos e acabamos não trabalhando nosso Marketing Pessoal, lembrando dele apenas nos momentos em que buscamos uma recolocação ou crescimento profissional.

Como nunca é tarde para começarmos a por em prática na nossa vida alguns dos conceitos tão usados pelas empresas, humildemente listo abaixo alguns pontos que, acredito, podem te ajudar a trabalhar seu Marketing Pessoal com eficiência:

• Saiba quem você é
Esse é o momento da verdade, mergulhe fundo na sua essência e encontre a sua Identidade Pessoal! Descubra, saiba e assuma quem você é e o que gosta, por isso não tenha vergonha das suas descobertas. Tenha orgulho da sua história, das suas lutas, das suas vitórias e das suas derrotas.

• Defina sua imagem
Tendo conhecimento da sua real e verdadeira identidade, você deve transmiti-la a todo instante, por isso esse é o momento mudança e da adequação.
Deixe tudo aquilo que é ‘velho’ ir embora, para assim dar lugar ao ‘novo’. Mude e transforme tudo aquilo que não representa a sua essência.
Nesse momento vale mudar o corte de cabelo, adequar seu guarda roupa com sua função profissional, polir se vocabulário deixando para trás palavras inadequadas, etc.

• Você S.A. oficial
Pode parecer estranho num primeiro momento, mas olhe para você como uma empresa.
Tenha uma ‘foto oficial’ (ela pode ser tirada no estúdio da faculdade, por um amigo fotógrafo ou pela sua irmã) em que seja possível visualizar sua imagem lapidada.
Também tenha, com a mesma Identidade Visual, cartões de visitas pessoais, um site e email com domínio personalizado na internet
Padronize sua foto de perfil e capa, descrições e linha de portagens nas redes sociais que utilizar, assim como uma empresa você deve ter uma unidade nesses canais.

• Não se enrosque nas redes
Faça uma análise do seu comportamento nas redes sociais e veja se ele é adequado a sua identidade e imagem.
Por mais difícil e trabalhoso que possa parecer, faça uma varredura nas suas redes e delete tudo que vá contra aquilo que você realmente é, como por exemplo um comentário acalorado sobre um jogo de futebol de 2 anos a atrás.
Também defina quais redes você irá usar e o que irá falar em cada uma delas.

• Mostre-se
Como fiz o ditado “quem não é visto, não é lembrado”.  Faça-se presente nos grupos de discussão do Facebook e do Linkedin, responda perguntas, debata e interaja.
Produza bons conteúdos e não apenas compartilhe textos de grandes portais.
Seja referência para outros profissionais.

• Deixe o #mimimi na creche
Não faça como um adolescente e ~xingue muito no Twitter~ quando acontece algo desagradável na sua vida pessoal ou profissional. Etiqueta, elegância e educação nunca são demais. Poupe seus seguidores do seu #mimimi e se por acaso tiver algum problema com alguém procure resolvê-lo por mensagens privadas.

Por fim, o principal ponto de todos, destacado pela Tatti Maeda da Mesh.Up:

• Seja humilde
Crescemos, nos desenvolvemos mas continuamos sendo um eterno aprendiz!

Texto postado originalmente no SocialMediaCast.

Conexão ou desconexão, eis a questão!

Bom dia // Boa tarde // Boa noite! :)

Quem vos fala é a Ze’stagiária Andrea Menezes a ~pessoa estranha~ que AMA a cidade de São Paulo, mais nova colega de galho dos meus amados Ze’s e esta é a minha primeira postagem #NoGalhoDosZÉstagiários. Antes de mais nada, gostaria de agradecer imensamente aos meus colegas de árvore pelo convite para juntarmos nossos cachos de banana e debatermos ~xoxial media~.

Confesso que pensei em muitos temas para inaugurar o galho dos Ze’stagiários, e lembrei de um assunto/atitude ~polêmica~: a desconexão.

Calma, eu explico! Explico e compartilho com vocês um ~case~ pessoal: no início deste ano passei por grandes mudanças da minha vida, pouco a pouco fui ficando ansiosa ou, no caso, mais ansiosa do que o normal, percebi que a grande parte da minha ansiedade e stress nascia nas redes sociais e em especial o Facebook; quando cheguei no limite, me desliguei da Matrix e fiquei off das Redes Sociais.

Sim, me desconectei de todas as redes, utilizando minhas contas apenas profissionalmente e confesso que sofri daquela abstinência pela informação, das fotos, dos likes, das mensagem no meu InBox, das cutucadas, dos Check-ins, dos ~assuntos do momento~, dos RTs e dos #FFs, independente da relevância sentia falta de tudo. Conversei com amigos e vi que não era a única, uma amiga também se desconectou depois de ter passado a noite no hospital por causa de stress e outra por ter brigado com o namorado. Enfim, o motivo não importava, o fato era que naquele momento vários amigos estavam experimentando viver novamente em um mundo totalmente offline, algo que provavelmente não vivenciávamos desde os 13 anos de idade, quando a internet/computadores eram caros e ainda não conhecíamos o ICQ. Passei alguns meses desconectada e quando voltei para as redes em Junho desse ano, senti que estava mais consciente e focada quando utilizava as redes.

Tal atitude não é novidade, em 2012 o publicitário Felipe Teobaldou criou o Tumbrl 100 dias sem face em que diversos usuários relatam suas tentativas de ocupar o vazio deixado pelo Facebook, veja aqui.

Para tentar entender um pouco mais do uso que fazemos ou não das redes sociais, conversei com três amigos sobre o uso que fazem dessas ferramentas:

O Desconectado — André de Paula Andreis
Estudante de Arquitetura e Urbanismo, ele utiliza a rede social profissional Linkedin e possui um site com portfólio de trabalhos.
Contou que já teve um perfil no orkut e no MSN, mas utilizava muito pouco essas plataformas. Por falta de interesse dos assuntos que são discutidos nas redes, optou por não possuir nenhum perfil no Facebook, Twitter, Pinterest ou outra rede com um foco mais lúdico e “para conversação”.
Não se sente excluído dos convites de eventos ou de os assuntos debatidos por amigos da faculdade em grupos no Facebook, pois seus amigos sempre o colocam a par dessas informações, “sempre perguntam, você já está sabendo daquela festa? Eles já estão acostumados com o meu jeito” explica.
Afirma que a informação não está exclusivamente nas redes sociais e por isso opta por se informar através de portais de noticias e acompanha sites de humor como o 9GAG, pensa em ter um smartphone para utilizar as demais ferramentas disponíveis nesses dispositivos móveis e comenta “não posso dizer que teria, também não tenho nada contra nem a favor”.

A Confusa – Raquel Sonobe Gamom
A estudante de Arquitetura e Urbanismo desconectou-se há pouco menos de um mês, há tempos sentia que perdia valiosas horas do dia no Facebook apenas olhando as postagens, muitas vezes irrelevantes, que apareciam no feed de noticias e acabava deixando os estudos e outras pendências em segundo plano; apesar de não ser heavy user, conta que estava se tornando dependente da rede.
Hoje, desconectada, se sente um pouco isolada e alheia às informações compartilhadas pelos amigos, encontra dificuldades na hora de visualizar algum link que a direciona para uma postagem no Facebook. “Depois que me desconectei encontro dificuldades em saber informações sobre a greve da UNESP Bauru (onde estudo) e de eventos de amigos”, explica.
“Estou participando do programa ‘Ciências Sem Fronteiras’ e sinto que em grupos com participantes desse programa as informações chegam muito mais rápido e de uma forma bem mais fácil”, afirma e acrescenta contando “fiquei sabendo dias depois que uma colega da faculdade havia embarcado para fazer intercambio e que havia perdido a sua festa de despedida, se tivesse ainda com a minha conta no Facebook isso certamente não teria acontecido”.
Porém nem tudo são lágrimas, Raquel conta que desconectada do Facebook conseguiu dedicar-se completamente aos estudos, está menos estressada e ansiosa, mais focada e concentrada. Também voltou a utilizar o Twitter, onde afirma encontrar informações mais úteis dos perfis interessantes que segue, como arquitetos influentes, canais de notícias e perfis criativos.
Atualmente, ela utiliza o Twitter, o Flicker, o Whatsapp, o Pinterest, e pretende voltar para o Facebook em breve, mas com a condição de adicionar apenas amigos próximos e que possuam interesses em comum. “A intenção é não adicionar por adicionar conhecidos, mas não sei se consigo” afirma.

O Conectado – João Guilherme Magioli
O estudante de Publicidade e Propaganda utiliza varias redes sociais, atualizando seu status diversas vezes por dia nas plataformas em que é cadastrado.
Confessa que anteriormente tinha dificuldade em conciliar sua vida online com sua vida offline, “antes, o uso das redes me atrapalhou bastante, tinha que fazer um trabalho para a faculdade ou mesmo ler um livro e acabava ficando horas no Facebook, quando via já estava atrasado com minhas demandas pessoais”, conta. “Hoje, já sei lidar com isso”, explica.
Selecionar informações que julga relevante, interessante e legal postado pelas páginas e pelos amigos foi a estratégia de João para acessar com mais facilidade um conteúdo de qualidade. “Já cheguei a curtir mais de 1.000 páginas, hoje, segmento o que quero ver no meu feed por interesses. Pode parecer difícil no começo, mas o resultado vale a pena”, conclui.

Relembrando minha experiência pessoal e levando em conta os depoimentos acima, creio que o segredo não é estar ou não conectado, mas sim o uso consciente da rede. E vocês, o que acham?

Texto postado originalmente no SocialMediaCast.

Cobertura #SMWsp – 24 à 28 de Setembro de 2012

12-10-04_Imagem01

Na semana passada tive a oportunidade de participar do Social Media Week São Paulo  e acompanhar de perto as 6 frentes de conteúdo que o evento realizou. Durante 5 dias discutimos os rumos da comunicação digital e como acontece o relacionamento das marcas com os consumidores, na minha humilde opinião, o ponto nevrálgico desse grande evento.

12-10-04_Imagem02
No #ThinkTankStage, principal palco do evento, aconteceram profundas e provocadoras discussões sobre o mercado e social media. Grandes nomes da comunicação passaram por lá e dividiram com o publico um pouco daquilo que vivem e acreditam. As keynotes foram transmitidas ao vivo pelo fanpage da VIVO no Facebook, permitindo uma total interação com os aquelas pessoas que não puderam estar presencialmente no evento. Os videos já estão disponíveis no canal do YouTube da marca. Confira abaixo algumas das palestras mais inspiradoras e polemicas que aconteceram:
• CONVERSAMOS SOBRE O QUE INTERESSA. O RESTO É SÓ PROPAGANDA!
• DR À TROIS: DISCUTINDO A RELAÇÃO ENTRE AGÊNCIAS, AGENTES E BLOGUEIROS
• KEYNOTE: STOP PREDICTING THE FUTURE

12-10-04_Imagem03
No #LearningStage importantes profissionais do mercado compartilharam dados, cases e insights da sua caminhada profissional, em um ambiente super intimista. Por lá passaram nomes como Ricck Lopes, que apresentou seu polemico case Gina Indelicada, Kiko Steinhoff, apresentou o case da cervejaria Heineken ‘1 Like = 1 Curtir’, Eduardo Ourivio, apresentou o case da Spoleto com o Parafernalha, Ricardo Tronquini que apresentou o case ‘C&A Fashion Like’, entre outros.

12-10-04_Imagem04
No #BrainstormRoom aconteceram as discussões mais acaloradas. O espaço era dedicado à desconferências com grandes profissionais do mercado, com debates olho no olho. Para aqueles que sempre quiseram estar em uma mesa discutindo planejamento, criatividade, meios e conteúdo com profissionais inspiradores, esse era o local ideal. Durante o evento pude participar de debates com Fernando Diniz (Head of Strategic Planning na F.Biz), Eden Wiedemann (Coordenador de Social Media da Campanha de José Serra), Luiz Grottera (CEO da BrandiaCentral), Eduardo Lorenzi (Head de Planejamento Estratégico da Neogama/BBH), Renata Bokel (VP de Planejamento na AgênciaClick Isobar), Danilo Cid (Sócio-Diretor de Criação Ana Couto Branding&Design e professor da ESPM e Miami Adschool), Gabriela Hunnicutt (Sócia da Bold Conteúdo), Raphael Vasconcellos (Diretor de Creative Solutions na América Latina do Facebook), Flávio Proença (Diretor de Planejamento da Y&R), Cristian Mazzeo (Digital Guru da Y&R) e João Gabriel Fernandes (Diretor de Planejamento da Y&R).

12-10-04_Imagem05
No #PracticeRoom aconteceram os workshops sobre os mais diferentes temas relacionados a social media. Se você queria aprender e participar de verdadeiras aulas com grandes profissionais do mercado esse era o seu lugar. As vagas eram limitadas e o conteúdo apresentado era realmente muito rico. Consegui fazer minha inscrição e participar dos workshops de Foursquare e aplicativos geolocalizados, como usar? com Lucas Couto (Diretor de Conteúdo e sócio da It’s Digital, responsável pela primeira ação usando Foursquare no Brasil), APPS + SOCIAL + MOBILE = Novos paradigmas e Windows Phone com Henrique Mafroi (Gerente Técnico de Desenvolvimento da Nokia), Como usar o Google+ em ações publicitárias? Com Estevão Soares (Social Business Strategist da Estrategi.ca) e Gestão de crise em redes sociais, como fazer? com João Bell (Gerente da Divisão de Marketing Digital e Social Media da Vivo) e Roberta da Purificação (Consultora de Mobile e Social Media da Vivo).
Confira como foi o workshop Gestão de crise em redes sociais, como fazer?.

O evento também contou com atividades que aconteciam fora dos 4 ambientes do MIS: o Inspiration Lunch, que aconteceu de segunda a quinta e o SMW/Shared, que aconteceu na sexta feira.

12-10-04_Imagem06
O #InspirationLunch, que aconteceu pela primeira vez nessa edição do evento e uniu grandes profissionais de comunicação com alguns participantes convidados em um saboroso almoço Mube ou no Chez MIS. Na terça feira, 25/09, tive a honra de almoçar com Roberto Martini (Fundador, CEO e CCO da Cubo.cc), Guilherme Capella (Consultor de Marketing Digital), Liliane Bida (Analista de Projetos WEB na SKY Brasil), Fabiana Faria (Consultora e Produtora Conteúdo para Mídias Digitais) e Edina Candido (Sócia da Campo de Marketing). Durante 2 horas trocamos experiências sobre a nossa carreira e conversamos sobre o futuro da comunicação no Brasil e no mundo. Sem duvida, um dos grandes momentos do evento!

12-10-04_Imagem07
O #SMW/Shared aconteceu no ultimo dia do evento em mais de 23 agencias nas cidades de São Paulo, Campinas, Ribeirão Preto e Santos. Com uma agenda especial, recheada eventos específicos, a ideia desse dia era dividir com os participantes o um pouco mais sobre o dia a dia do mercado de comunicação.
Pela manha participei de um Case Study na DM9DDB. Com pães de queijo, pipoca e guaraná grandes profissionais da agencia contaram como aconteceu todo o processo de criação e desenvolvimento do case ‘De Lavada’ da Consul e nos contaram um pouco sobre as principais estratégias e ações para o portal Terra. No final do evento a Manu Laragnoit fez a honras da casa e nos guiou em uma visita por dentro de uma das maiores agencias do país.
A tarde participei da dinâmica “Como resolver um job para ontem?” na Pólvora Comunicação. A agencia preparou um espaço com salgadinhos, pipoca, bolachas e refris, onde a equipe de Planejamento apresentou a dinâmica de trabalho da equipe, nos inspirou com algumas tendências e nos um Job para ser resolvido em 1 hora. A ideia era mostrar para o pessoal como é corrido o dia a dia de uma agencia de comunicação. Em duplas, apresentamos para os sócios da agencia, Jair Paulo Tavares Silva e Gustavo Jreige, soluções para o case ‘Como incentivar Europeus a fazerem viagens turísticas à São Paulo’ ou ‘Como mostrar que São Paulo é mais do que uma cidade de negócios’. No final da dinâmica rolou um happy hour com pizzas e cerveja e ainda ganhamos um presente super especial do pessoal da agencia.

Durante 5 dias, a edição de São Paulo do evento contou com a participação de cerca de 3.000 pessoas, mais de 120 palestrantes convidados e mais de 10.000 menções no Twitter. Com um line-up recheado de grandes nomes, o evento estava muito bem organizado e contou com ações da Lomadee, PepsiCo, Azul e Seara, com concursos culturais da Nokia Brasil e R18 Comunicação e fotografias super especiais do LambeLambe.
Deixou saudade! E que venha o próximo #SMWsp o/

#Cobertura | ‘Branding’? É de comer?!

Conheci a Trespontos há cerca de um ano e em agosto fiz a sabia decisão de assinar o combowebinar+conteúdo.

Se antes já recebia um conteúdo sem #mimimi na minha timeline no Facebook e Twitter, agora, como assinante do canal e integrante da rede, participo de eventos ao vivo interagindo com profissionais de todo o Brasil [e as vezes do mundo], tenho acesso aos vídeos e materiais de eventos anteriores, faço parte de um grupo de debates no Facebook exclusivo para assinantes do canal [pessoal, é de longe o melhor grupo de debate de Marketing, Comunicação e Social Media que faço parte, a participação e interação entre os integrantes é intensa #fato], além de contar com o total apoio de toda a prestativa equipe da Trespontos.

Na terça, 18 de setembro, deixei todo o #oioioi e as intrigas da Carminha X Nina de lado para participar do webinar ‘Introdução ao Branding’ ministrado pelo Daniel Padilha, sócio e gestor de marcas na Pyrsona brandHouse.

O curso contou com a participação e interação de cerca de 80 pessoas e durante aproximadamente 2 horas, desconstruiu o conceito, por muitas vezes errado, que temos de ‘o que é uma marca’, para construí-lo novamente com uma base solida de muito #MaisConteúdo. Enquanto o Daniel nos apresentava a importância das marcas em nossas vidas e como acontece nossa relação com elas, rolava no chat um debate super bacana sobre como a opinião e engajamento dos consumidores nas redes sociais podem influenciar decisões estratégicas de grandes empresas.

Um dos cases abordados e discutidos pelos participantes foi da volta do Lollo, aquele chocolate delicioso que em 1992 ‘mudou de nome pra agradar você’, passou a se chamar Milkbar e agora volta com embalagem, slogan e receita original, graças ao engajamento dos saudosos consumidores que há 20 anos não encontravam a marca nas prateleiras, mas ainda desejavam o produto; e o bacana desse relacionamento da marca Nestlé com os seus consumidores é que a historia ainda não acabou, o Portal Administradores lançou pelo Facebook uma campanha pedindo a volta do chocolate Surpresa, a ação foi matéria no Estadão e mobilizou a assessoria de imprensa a afirmar que “não há previsão da volta do chocolate, mas (…) os pedidos dos internautas não serão descartados”. Também comentamos os cases do Guaraná Jesus, bebida vendida apenas no Maranhão e desejada em todos os outros estados do País e da mobilização dos consumidores/internautas para volta do KitKat.

E você, está cansado do #mimimi nas conversas, quer interação real e #MaisConteúdo?! É só se tornar assinante do canal. Vale muito a pena #fato!

Texto postado originalmente no blog da TrespontosBrasil.

Bem vindo ao meu blog!

12-03-11_Imagem01

Olá, tudo bem?!

Sou Andrea Menezes e nos últimos 14 anos tenho me aventurado quase que diariamente nesse mundo de telas, teclas, informação e interação que a internet nos permite.

Sempre participei ativamente das mais variadas redes sociais, sou apaixonada por pessoas e interação. Quando entrei na faculdade de comunicação, o que antes era um espaço virtual em que eu interagia apenas com amigos, se transformou em um ambiente de contatos profissionais e compartilhamento de informações. Acompanhar diversos blogs e sites, compartilhar noticias e interagir se transformou em uma prazerosa rotina diária, que muito contribuía para a minha caminhada profissional.

Há algum tempo senti a necessidade de produzir meu próprio conteúdo, compartilhar um pouco de tudo que aprendi nesses anos de academia, trabalho e interação. Não, esse não será mais um blog de comunicação que irá replicar conteúdos similares aos dos outros blogs. Esse será um espaço para falar dessa saborosa mistura de marketing, comunicação, cool hunter, tendência, inovação e crônica urbana.

Sintam-se a vontade e sejam muito bem vindos!

Nota: Não posso deixar de agradecer aos queridos amigos Rodrigo Eustachio, Leandro Lopes, Marcelo Rios, Marcos Correia e Arthur Castro Araujo que me incentivaram e ajudaram a colocar esse blog no ar. Muito obrigada =)